Follow by Email

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Vigilâncias Sanitárias preparadas para a Copa das Confederações

Contagem regressiva para a Copa das Confederações. A Anvisa e os órgãos de vigilância sanitária das seis cidades-sedes estão preparados para responder a possíveis emergências de saúde pública durante o evento. É esta a avaliação do diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, sobre o planejamento desenvolvido pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária para os jogos que iniciam neste sábado (15/06).

“Durante o processo de preparação, visitamos todas as cidades-sedes e elaboramos planos específicos para assegurar, do ponto de vista sanitário, o bom andamento deste evento de massa”, afirma Barbano. A Copa das Confederações será realizada nas cidades de Brasília (DF), Fortaleza (CE), Recife (PE), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ).

Dentre as ações realizadas durante o planejamento de vigilância sanitária, destaca-se a definição, em cada uma das cidades-sedes, de hospitais de referência. “São serviços preparados para receber e prestar toda assistência necessária às pessoas que apresentarem problemas de saúde durante o evento”, explica o diretor-presidente da Anvisa.

Para garantir maior segurança nos serviços prestados, as equipes de vigilância sanitária local também realizaram inspeções sanitárias na rede de restaurantes e hotéis das cidades-sedes. Essas equipes estarão presentes nos estádios, durante os jogos, para atender qualquer situação que envolva risco sanitário.

Centro de operações
Outra ação com participação dos órgãos de vigilância sanitária na Copa das Confederações são os Centros De Operações Conjuntas da Saúde. “Esses centros vão reunir autoridades das diversas áreas da saúde e irão monitorar, em tempo real, qualquer situação que exija uma intervenção imediata”, explica a gerente geral de Alimentos da Anvisa, Denise Resende.

Os centros estarão em funcionamento em todas as cidades onde ocorrerão os jogos. Além disso, há um centro nacional, instalado no Ministério da Saúde, em Brasília. “Esses centros vão permitir que os órgãos de saúde trabalhem de forma articulada e rápida, durante a realização dos jogos”, diz Denise.

Aeroportos
Foram elaborados, ainda, planos de contingência para atender emergências de saúde pública nos aeroportos das cidades-sedes. Para cada cidade, o plano reúne orientações e procedimentos que devem ser adotados em situações de emergência, acidentes e eventos relacionados à saúde.

“O plano está focado nas situações de doenças transmissíveis nos pontos de entrada do país”, explica Paulo Cury, gerente geral de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Anvisa. O documento também prevê situações relacionadas a acidentes químicos e biológicos, entre outros. Nestas situações haverá atuação conjunta de diversos órgãos, tanto da área de saúde como de segurança pública.
Fonte: Anvisa

0 comentários:

Postar um comentário