Follow by Email

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Alguns motivos para você optar por ALIMENTOS AGROECOLÓGICOS

  • Rejeita agrotóxicos e sementes geneticamente modificadas
  • Protege a saúde de quem planta e de quem consome
  • Fortalece a Soberania e Segurança Alimentar
  • Respeita o ecossistema
  • Insere práticas alimentares saudáveis
  • Resgata culturas alimentares e a forma de produzir alimentos
  • Aproxima o produtor e o consumidor.
  • Contribui para o desenvolvimento local
                                                                                                                     
Nos últimos três anos o Brasil vem ocupando o lugar de maior consumidor de agrotóxicos no mundo. Segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Observatório da Indústria dos Agrotóxicos da Universidade Federal do Paraná,divulgados durante o 2º Seminário sobre Mercado de Agrotóxicos e Regulação, realizado em Brasília, em abril de 2012, enquanto nos últimos dez anos o mercado mundial de agrotóxicos cresceu 93%, o mercado brasileiro cresceu 190%. Em 2008, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos e assumiu o posto de maior mercado mundial de agrotóxicos.

Os impactos à saúde pública são amplos porque atingem vastos territórios e envolvem diferentes grupos populacionais como trabalhadores em diversos ramos de atividades, moradores do entorno de fábricas e fazendas, além de todos nós que consumimos alimentos contaminados. Tais impactos são associados ao nosso atual modelo de desenvolvimento, voltado prioritariamente para a produção de bens primários para exportação.


A ABRASCO produziu e divulgou o Dossiê Abrasco Sobre Efeitos dos Agrotóxicos na Saúde, que visa alertar, por meio de evidências científicas, as autoridades públicas nacionais, internacionais e a sociedade em geral para a construção de políticas públicas que possam proteger e promover a saúde humana e dos ecossistemas impactados pelos agrotóxicos. 
Nele você tem informações sobre:
Conta com 37 instituições fundadoras, criado em 28/11/2011 para servir de instrumento de articulação institucional, como um espaço permanente e aberto de debates sobre os impactos negativos do uso de agrotóxicos na saúde do trabalhador, do consumidor e ao meio ambiente, contribuindo para o fortalecimento do controle social e para a efetividade das ações dos órgãos de controle e gestão. Seus objetivos específicos são:
  • articulação institucional;
  • observância dos princípios da precaução e prevenção;
  • promoção de ações educativas;
  • fiscalização do cumprimento de normas específicas;
  • promoção do cumprimento de convenções e tratados internacionais;
  • colaboração para o aperfeiçoamento de normas específicas;
  • sugestão e celebração de convênios e parcerias;
  • proposição e cobrança de estudos e pesquisas;
  • recebimento de denúncias, encaminhamento e acompanhamento junto aos órgãos competentes de controle.

0 comentários:

Postar um comentário