Follow by Email

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Vigilância Sanitária participa do curso PROFORMAR-RIO II (2014) para os AVS da CAP3.3

O convite para participar no dia 20 de maio, de uma da aulas do curso Proformar foi feito pela Divisão de Vigilância em Saúde da CAP 3.3, para que os Agentes de Vigilância em Saúde, alunos desta turma, tivessem informações sobre a atuação da Vigilância Sanitária - sua estrutura, competências, atribuições e os serviços que estão disponíveis, como também as atividades e abrangências do NUSAT. Representando a Subvisa, os técnicos da CEVISA, Damião e Fernando fizeram as apresentações, responderam muitas perguntas e tiveram a oportunidade de passar orientações.
Foram distribuídos kits contendo material educativo - folders de temas sobre zoonoses, qualidade da água, saúde do trabalhador, estabelecimentos de embelezamento e estética, compra de alimentos.
Estavam presentes cerca de trinta agentes. Foram feitas também apresentações do setor que monitora a violência naquele território e da Vigilância Ambiental.   
Este ano é a segunda edição do curso Proformar realizado no município do Rio de Janeiro, sendo uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Cidade do Rio de Janeiro, em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) que visa qualificar Agentes de Vigilância em Saúde no Curso de Desenvolvimento Profissional de Agentes Locais de Vigilância em Saúde - Proformar. As turmas estão distribuídas nas 10 AP’s e acontecem nas estações Otics existentes no Município do Rio.  

Proformar nacional:
O Programa de Formação de Agentes Locais de Vigilância em Saúde – Proformar constitui-se, desde 2001, em uma importante estratégia para promover a formação profissional em Vigilância em Saúde no país.  Tem como objetivo o desenvolvimento de um conjunto de ações que envolvem a qualificação dos trabalhadores de nível médio que atuam nesta área. 

Originado como demanda específica do processo de descentralização das ações de epidemiologia e controle de doenças (Portaria 1399/99 MS), o Programa foi responsável pela qualificação inicial de cerca de 32 mil profissionais em todo o país, pela produção e disseminação de mais de 35 mil livros didáticos e pela articulação de uma ampla rede técnico-pedagógica envolvendo mais de 260 núcleos descentralizados e 1100 docentes em todo país. Atualmente, vincula-se ao desenvolvimento articulado de vários projetos de ensino, pesquisa e desenvolvimento tecnológico, e de diferentes iniciativas do Ministério da Saúde no âmbito da Política de Educação Permanente para o SUS, especialmente àquelas que buscam ordenar a formação dos trabalhadores da área de vigilância através da discussão do perfil de competências e do estabelecimento de diretrizes curriculares.

0 comentários:

Postar um comentário